Lançamentos de setembro da Rocco

O Império da Necessidade, de Greg Grandin


Em 20 de fevereiro de 1805, o capitão Amasa Delano localizou uma embarcação misteriosa perdida no mar revolto do Atlântico Sul. Navegador experiente, de família de pesqueiros da costa de Massachusetts, Delano decidiu ir até o veleiro sem bandeira para verificar se seus tripulantes precisavam de ajuda. Quando subiu a bordo do Tryal, o capitão nativo da Nova Inglaterra encontrou uma surpreendente mistura de africanos e marinheiros espanhóis e mulatos no navio comandado por Benito Cerreño.

Durante as mais de nove horas em que esteve no Tryal, ajudando a distribuir água e comida à tripulação, Amasa Delano estranhou a movimentação dos africanos em torno de Cerreño, mas demorou a suspeitar do óbvio. Liderados por um homem mais velho chamado Babo e por seu filho Mori, os rebeldes escravos haviam tomado o controle da embarcação, mantendo o capitão espanhol como seu refém. Leia mais.


Minha vida sem banho, de Bernardo Ajzenberg


Uma rotina apática, sem brilho: um trabalho burocrático, horas de procrastinação à frente da TV ou navegando pela internet, diversão beirando o zero, atividade física nula, vida social inexistente e nenhum amigo. O único ponto fora da curva, sua namorada, está a milhares de quilômetros de distância, a trabalho, em Manaus. Frente a essa realidade entediante, um boiler queimado no inverno e a perspectiva de uma ducha gelada tornam a dispensa do banho não só um evento para Célio Soihet Waisman, mas um verdadeiro “Projeto”. Eis a premissa do desconcertante Minha vida sem banho, novo romance do prestigiado escritor, tradutor e jornalista Bernardo Ajzenberg.


 Tendo São Paulo como pano de fundo — marginal Pinheiros, rodovia Castelo Branco, Butantã, rodovia Fernão Dias, rua da Consolação, Hospital Albert Einstein, rua Augusta, PUC, USP, avenida São João —, o autor  criou uma trama enovelada por fios distintos em que são identificados elementos recorrentes em suas obras: protagonistas em crise, família fragmentada, hipocrisia, relações afetivas em xeque, solidão, raízes judaicas, as vivências e molduras decorrentes de uma geração que cresceu sob a ditadura militar brasileira. Todos os temas entrelaçados num trabalho de ourivesaria pelo apreço em investigar a psicologia humana. Leia mais.


O cavalo de latade Janice Steinberg


Elaine Greenstein tem 80 anos e está prestes a se mudar para um apartamento para idosos no Rancho Mañana, local que ela ironicamente chama de Rancho Sem Amanhã. No novo endereço, ela não terá espaço para muita mobília ou lembranças de sua longa vida como advogada. Por sorte, logo depois de tomar a decisão, a Universidade de Southern California pediu que Elaine doasse sua coleção de papéis para a biblioteca da instituição, e ainda colocou à disposição dela um aluno para ajudá-la.


Inicialmente, Elaine ficou com receio. Uma coisa era ceder material de sua carreira jurídica, outra era entregar papéis pessoais. A universidade queria tudo, guardados de sua infância, as cartas trocadas com o marido Paul quando ele se alistou na Segunda Guerra Mundial, desenhos feitos pelos filhos e até lembranças relacionadas à sua família judia fugida da Romênia. Leia mais.





Comentários

Postagens mais visitadas