Resenha #15 - A Different Blue, Amy Harmon


Blue Echohawk é uma garota que vive em um tipo de crise de identidade permanente, causada por ela não saber o nome de sua mãe ou porquê ela a deixou e por o homem que a criou não ser seu pai de verdade. Blue finge ser outra pessoa na maior parte do tempo, já que, pela visão dela, ela não sabe quem realmente é, pois não tem acesso às suas origens.

Apesar de tudo, essa moça consegue expressar seus sentimentos por meio de suas esculturas de madeira, arte ensinada a ela por seu pai de criação, Jimmy, a quem ela ama muito. Outra forma de expressão de Blue ocorre nas aulas de História, em que o professor, Sr. Wilson, pede aos alunos que escrevam suas próprias histórias. Ela faz isso forçadamente, mas faz.

"-Olhem a folha na sua frente - Sr. Wilson instruiu, quando terminou a distribuição das folhas. Ele caminhou até a frente da sala de aula e encostou-se à lousa, cruzando os braços. Ele nos olhou por alguns segundos, para garantir que estávamos todos com ele. -Está em branco. Nada foi escrito na página. É uma folha limpa. Mais ou menos como o resto de sua vida. Em branco, desconhecida, não escrita. Mas todos têm uma história, não é?"

O primeiro nome do Sr. Wilson é Darcy, nome de um personagem encantador de um livro muito conhecido da Jane Austen, Orgulho e Preconceito. Por ele ser inglês, em suas aulas ele apresenta a seus alunos algumas diferenças entre a língua britânica e a estadunidense, mas o que eu mais gostei foram os fatos históricos que aparecem no livro, enquanto ele vai explicando a matéria para os alunos. Foram citados Joana D'Arc, adolescente que liderou soldados franceses em batalhas contra a Inglaterra (e ganhou), e as invasões dos povos bárbaros, que levaram à queda do Império Romano do Ocidente.

Esses dois personagens começam a desenvolver sentimentos de um pelo o outro, mas é algo sutil. Um quesito diferente nessa história e que me agradou bastante é que ela não é a típica "mestre+pupila=amor proibido", já que eles não se envolvem realmente no período anterior à formatura do ensino médio (e a trama não fica restrita ao amor entre os dois).

"Talvez tenham sido as histórias que me atraíram. Cada dia era uma nova história. E, muitas vezes, as histórias eram sobre mulheres na História, ou contadas pelo ponto de vista delas. (...). Ele definitivamente não era o meu tipo. Ainda assim, eu me vi olhando para frente durante a minha última aula do dia com impaciência. "

A relação entre eles vai sendo tratada de forma delicada  ao longo do livro, parece que eles estão se equilibrando em uma corda bamba e a qualquer momento um deles pode escorregar, acabar caindo e ficar estatelado no chão.

A Different Blue é um livro que nos faz pensar em algumas questões: Quem nós somos? Somos definidos pelo lugar de onde viemos,  pelas pessoas que nos colocaram no mundo, pelas pessoas  que nos criaram, ou pelo que fazemos enquanto estamos aqui?

Compartilho da opinião de que somos definidos pelo que nós próprios fazemos, pensamos e sentimos. Mesmo que seja tudo uma confusão, geralmente tentamos botar tudo em ordem para enxergar o caminho em frente, aquele que devemos seguir. Acho que esse livro é sobre isso. Sobre a descoberta de quem se é realmente e sobre seguir em frente, sempre.

Comentários

Postagens mais visitadas