Resenha #13 - Austenlândia, Shannon Hale


Fui atraída à esse livro por seu nome, Austenland. Apesar de ter podido ler apenas duas obras de  Jane Austen até agora, sou apaixonada pelo trabalho dela, então não podia deixar de ler um livro que tem tanto a ver com essa autora. Na história, Jane Hayes é uma mulher com mais de trinta anos que não tem a mínima sorte com namorados e que sente falta de ter um homem por perto com quem possa sempre contar. Ela acaba ganhando como herança de uma parente rica uma viagem a Pembrook Park, que é um local onde tudo é e acontece como se o século vigente fosse o XIX - um oásis para os amantes de Austen.

Durante a leitura de Austenlândia fiquei bastante irritada com a nossa personagem principal. Ela deixou sua vida ser guiada por um personagem fictício de Austen e passou a comparar os homens com que saía à ele. Mas, caramba, é praticamente impossível achar um Sr. Darcy na vida real! 

Outra coisa que me irritou foi a forma como Jane se apaixonou algumas vezes. Não estou querendo dizer que o amor deveria ser racional, mas não dá para se apaixonar pelo primeiro que aparecer. As atitudes dela se equiparam às de alguém desesperado para encontrar um par para a vida inteira - o que, na verdade, configura o caso dela.

Só consegui me afeiçoar à personagem durante sua estadia em Pembrook Park. Lá ela se manteve íntegra e autêntica, na maioria das vezes, e começou a enxergar melhor a si e a sua vida. Além disso, ela foi para lá justamente tentando esquecer sua obsessão pelo Sr. Darcy, o que com certeza me agradou. A autenticidade é algo que prezo muito e, por isso mesmo, fiquei irritada novamente com Jane por ela tentar esconder uma parte importante de quem ela é, simplesmente por ter vergonha de admiti-la, até mesmo para sua mãe.

"A cada vez que assistia, Jane sentia o coração acelerar, a pele se arrepiar e então reprimia aquela dorzinha em seu estômago comendo algo indecoroso, como cereal de chocolate.  Naquela noite, ela sonharia com o cavalheiro usando um chapéu de Abraham Lincoln e então pela manhã riria de si mesma e brincaria com a ideia de levar aqueles DVD's e todos os seus livros de Jane Austen para um sebo."

Como já deu pra perceber, minha opinião sobre a obra foi variando ao longo da leitura. Felizmente, terminei o livro com a sensação de ter lido uma boa história, apesar de ter imaginado que o enredo teria algo a mais, algo capaz de me cativar. Eu gostei do desfecho criado pela autora, finalmente gostei da situação em que se encontrava a personagem, apesar de a trama ao todo ser um pouco clichê.

Bem, se esse livro não me trouxe a leitura que eu esperava, trouxe-me ao menos boas reflexões sobre um tipo de mulher em que não quero me transformar, e talvez tenha sido exatamente por isso que eu tenha me irritado tanto com a personagem, por não concordar com o modo como ela vive sua vida. Talvez eu devesse ter achado engraçado, mas não consegui. Espero que, se vocês resolverem ler a obra, tenham uma leitura mais prazerosa do que a que eu tive.

Comentários

Postagens mais visitadas