Resenha #25 - The 100 - Os Escolhidos, Kass Morgan


Me interessei por essa história por causa da série baseada no livro, exibida pela The CW, da qual até agora só assisti aos dois primeiros episódios, e por enquanto não pretendo ver o restante deles. E, como sempre, gostei mais da história do livro do que da adaptação, mesmo enquanto eu ainda estava nos primeiros capítulos. Em The 100, a civilização humana deixou a terra após a guerra nuclear que deixou o planeta inabitável. Há 300 anos os humanos vivem em uma nave no espaço, de onde podem ver o planeta em que seus ancestrais viveram e para onde querem um dia poder voltar. Como não é surpresa, nessa comunidade também existem divisões sociais, que separam os menos afortunados dos que têm privilégios. 

Em um tipo de "missão secreta" que não possui glamour algum, cem criminosos confinados (The 100) são enviados à Terra, para que o governo saiba se é seguro para a população voltar ao planeta após esses séculos, se a radiação já diminuiu o suficiente para permitir uma vida segura. Esse prisioneiros iriam provavelmente morrer em seu rejulgamento, quando completassem dezoito anos, então essa era a chance de eles começarem uma vida nova. Mas o transporte não sobreviveu à viagem, causando a morte de algumas pessoas e a perda de itens necessários aos cem, como alimentos e medicamentos. Assim, a volta da raça humana à Terra se tornou um pouco mais complicada do que se havia previsto.

Cada capítulo é contado pelo ponto de vista de um personagem, alternando entre Clarke, que cuida dos feridos por ter feito estágio médico, Wells,  filho do Chanceler que deu um jeito de ser confinado para poder ficar com Clarke, Bellamy, que ameaçou o pai de Wells no momento de embarque para que pudesse viajar e proteger sua irmã, e Glass, que conseguiu escapar  de ser enviada à Terra no meio da confusão causada por Bellamy. Por conta disso temos mais acesso ao que acontece tanto na nave, por conta de Glass, quanto na Terra, nos capítulos dos outros quatro.

A história não me deixou tão presa a ponto de eu não conseguir largar o livro, mas me deixou curiosa, sim. Dentro dos capítulos, cada personagem tem passagens relembrando o passado, que nos fazem entender melhor como eles estão e são agora no presente, nos dando mais acesso à personalidade de cada um. Foi por essas passagens que eu mais me interessei, em saber o que havia acontecido na vida de cada um ali que os fazia agir dessa ou daquela forma.

Também gostei bastante dos capítulos dedicados à Glass, por serem os que possuem mais momentos românticos. Fiquei um pouco decepcionada com a revisão do texto, em que a Galera pecou bastante. Encontrei vários erros ao longo da leitura. Mas a história como um todo conseguiu me conquistar. Não posso dizer que o fim me surpreendeu, porque eu tive bastante spoiler, mas se eu não tivesse sabido antes com certeza seria uma revelação bombástica. É um dos ganchos pra a continuação, que é contada em Dia 21, livro que estou mais que ansiosa para ler.

Comentários

Postagens mais visitadas