Resenha #42- Lifers, Jane Harvey-Berrick


Jordan Kane passou os últimos oito anos na prisão e agora se encontra em liberdade condicional na cidade em que cresceu, onde praticamente todos o conhecem e o julgam pelo que ele fez, um lugar em todos gostam de deixar bem claro o quanto ele é odiado. A única que se importa o suficiente com o rapaz é a reverenda local, que não estava na cidade na época em que Jordan foi preso, mas conhece sua história e tenta o possível para ajudá-lo. Uma das exigências da condicional é ter um emprego estável, que é o que a reverenda proporciona. Depois de um tempo, Jordan acaba conhecendo outra pessoa que parece não olhá-lo com ódio, Torrey Delaney, a atendente no café em que ele entrou certa manhã e filha da reverenda. O que Torrey não sabia é que aquele homem aparentemente perfeito estava enfrentando sérios problemas.

Torrey se formou na faculdade há pouco tempo e tinha o emprego dos sonhos, até que se recusou a fazer alguns 'favorezinhos' para o seu chefe. Seu pai se casou de novo e ela resolveu ir morar com a mãe, em Smallbutt. Quando Jordan entra no café ela logo percebe que ele é um gato, mas que todos o olham com uma expressão nem um pouco amigável. Jordan mantém as pálpebras para baixo, como se estivesse super interessado em seus sapatos, ao invés de encarar as pessoas de frente. Isso é bastante triste, ele não ter uma força interior a que recorrer para poder erguer a cabeça. Mas, aos poucos, Jordan e Torrey vão se conhecendo e entendendo um ao outro. Devo acrescentar aqui que, apesar de Torrey ser filha da reverenda, ela não é muito bem vista pelas pessoas da cidade, devido a sua fama com os homens, que com certeza não combina em nada com o papel da mãe na comunidade.

Ao desenrolar do livro entendemos melhor o que aconteceu para que Jordan fosse preso. E o problema é que todos acham que foi culpa dele e que ele não deveria estar ali, e parece que Jordan concorda com elas, sendo esse um dos motivos pelos quais ele praticamente nem tenta fazer com que as pessoas gostem dele. Em uma cena, quando Jordan vai concertar o carro de um senhor, o cara fica o tempo inteiro na porta da casa apontando uma espingarda na direção do pobre rapaz, que tem como objetivo de vida, no momento, apenas não voltar para a prisão. Ninguém quer saber o lado dele da história, o que aconteceu naquela noite, como foram todos esses anos longe de casa, tanto no reformatório quanto na prisão. Nem ao menos seus pais querem saber, longe disso, mal olham para o rosto dele, a não ser que seja para acusá-lo de alguma coisa.

Mas Torrey é aquela que se volta para ele e que quer saber o que aconteceu durante todos esses longos oito últimos anos, quem é o verdadeiro Jordan. E é lindo ver como, de acordo com o amadurecimento da relação entre eles, Jordan vai encontrando forças para realmente recomeçar sua vida, pensar em seu futuro e aos poucos ir se perdoando pelo que aconteceu e, assim, conseguir seguir em frente. A história é uma mistura de sentimentos e reflexões, uma verdadeira lição de vida, que nos faz parar e pensar no modo como nós agimos e reagimos aqui no mundo real - será que estamos fazendo a coisa certa, ou estamos sendo mesquinhos, ou covardes? Jane Harvey-Berrick conseguiu construir uma história linda, que fala tanto em tão pouco sobre o ser humano, que nos comove e nos marca de forma inenarrável.

Indico o livro de olhos fechados para qualquer um que me pedir opinião. Até mais, pessoas!

Comentários

  1. Nossa que triste cara. Deve ser horrível estar na pele dele oh. E bem curioso saber o que aconteceu pra que ele fosse preso que putz, oito anos é muita coisa. E pelo que pude perceber ele não tem culpa. O que é de deixar meio indignada né?! E também fiquei curiosa a respeito do romance entre os dois. Que vai ter um romancezinho ai, né?!

    Inquietudes Secretas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Liih
    Então, quando vc ler o livro vai entender melhor o por quê de todos esses anos preso, com certeza. Em relação a ele ser culpado, é meio que do ponto de vista entende? Pela lei ele é culpado mesmo, mas tem muito mais aí no meio que não é levado em conta pelas pessoas daquela comunidade.
    Espero que goste da obra :)

    ResponderExcluir
  3. Alguém sabe se esse livro tem continuação? Li e amei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carla
      Pelo que eu pesquisei, não há uma continuação, não, infelizmente :/

      Excluir

Postar um comentário

Comente! Vou amar saber o que você achou do post ou do blog, e sugestões para melhorias também são bem-vindas!

Postagens mais visitadas