Resenha #52 - O Duque e Eu, Julia Quinn



Finalmente vou poder dividir com vocês minhas opiniões sobre essa série maravilhosa da Julia Quinn. Comecei a me interessar mais por ela graças aos posts da Midi, lá no blog Tordo de Morango, parceiro aqui do Sobre Contar Histórias, que foram feitos há alguns meses, se não me engano. Fui lendo as experiências dela e não deu outra, comecei a ler também a série Os Bridgertons.

Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.
Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.
Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

O livro começa nos mostrando o passado de Simon, o único filho do duque de Hastings e que, por isso, deveria receber uma atenção infinita, mas que infelizmente não conseguia falar uma palavra sequer quando pequeno, o que o levou a ser rejeitado pelo pai. O menino deu tudo de si para superar suas dificuldades. Sua ama, Hopkins, sempre o ajudou no que podia e o incentivava a continuar tentando formar as palavras, até que ele conseguisse falar corretamente.  Ele estudou com muito afinco para se tornar um homem muito inteligente, e quando mais velho nunca deixou transparecer que algum dia teve um problema de fala. No tempo presente da história, Simon acabou de deixar de ser o conde de Clyvedon e se tornar o Duque de Hastings. Ele está voltando à Londres após a morte do pai, depois de ter passado seis anos no exterior.

Há uma coluna sensacionalista lida por todos em Londres, escrita por uma mulher chamada Lady Whistledown, que ninguém sabe quem é de verdade, que conta os acontecimentos dos eventos sociais da alta sociedade londrina, além de comentar sobre as famílias em si. Ficamos sabendo bastante coisa sobre o mundo em que a história se passa graças à essas colunas, que estão presentes em cada início de capítulo.

E então conhecemos Daphne, a quarta filha dos irmãos Bridgertons, a mais velha mulher. Uma curiosidade sobre os irmãos é que eles foram nomeados de acordo com a ordem alfabética: o primeiro filho se chama Antony, o segundo Benedict e assim por diante. Vou colocar uma imagem com  árvore genealógica da família logo abaixo. Daphne é uma mulher inteligente e divertida que quer se casar, mas que, infelizmente, mesmo depois de duas temporadas de bailes infinitos ainda não conseguiu encontrar o pretendente adequado. Em um dos bailes Daphne acaba conhecendo Simon, que é amigo de seu irmão Antony, e os dois acabam concordando em fingir que ele a está cortejando. Esse acordo traz vantagens para os dois lados, já que assim as mães de filhas solteiras não irão ficar tentando fazer com que o duque despose suas filhas e Daphne começará a ser mais cortejada por outros homens e assim poderá escolher um com quem queira se casar, afinal, se um duque está lhe dando atenção, é porque ela tem algo que ainda não havia sido notado antes pela sociedade.


Mas, como já era de se esperar, esses dois acabam se apaixonando um pelo outro, o que é ótimo para Daff, mas não para Hastings. Ele jurou seriamente que nunca se casaria e não produziria um herdeiro para o ducado, tudo para se vingar do pai, que pensava apenas na linhagem da família e nada mais. As complicações entre Daphne e Simon vão aumentando no decorrer da história e vamos conseguindo entender melhor a profundidade dos problemas que Hastings tinha com o pai e como isso afeta a sua vida atualmente.

Amei me perder dentro dessa história, conhecer os irmãos Bridgertons, cada um com suas peculiaridades, e torcer para que o casal conseguisse superar os desafios e os dois pudessem ficar juntos. Essa série de romances históricos é de tirar o fôlego e tenho certeza de que vocês vão amar lê-los, se ainda não tiveram a oportunidade. Os títulos dos livros seguintes estão escritos na árvore genealógica que eu coloquei ali em cima, então quem estiver interessado é só dar uma olhadinha na imagem.

Por enquanto é isso. Beijos!

Comentários

  1. Awwwwwn!!!!!
    Essa série é uma amor, não é? No fim de semana, li Para Sir Phillip, com Amor, o 5° livro da série... Tô louca para ler O Conde Enfeitiçado...
    Beijos!!!!


    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um amor mesmo! Ainda não li o quinto, mas estou louca pra ler <3
      Beijos

      Excluir
  2. Gente, eu amo essa série. <3 A Julia é linda na escrita, e de cara me apaixonei por tudo. Li 5, falta o 6, e to morrendo de ansiedade. Embarque nos próximos! É um melhor que o outro.
    beijos,
    whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renata!
      Ela é linda mesmo, né? Eu li só até o quarto, mas assim que der vou ler "Para Sir Phillip, Com Amor"!

      Excluir

Postar um comentário

Comente! Vou amar saber o que você achou do post ou do blog, e sugestões para melhorias também são bem-vindas!

Postagens mais visitadas