Resenha #67 - Mar de Rosas, Nora Roberts


Oi, gente! Como estão vocês? Trouxe a resenha do segundo livro da série Quarteto de Noivas, da qual estou gostando muito! Se quiserem, podem dar uma olhada no que achei do primeiro volume clicando aqui. A série pode ser lida fora de ordem, mas eu sempre aconselho a ir lendo a partir da ordem de lançamento, já que assim podemos entender melhor pequenos detalhes que a autora vai disponibilizando e não adquirimos spoilers dos livros anteriores.

Emma Grant é a decoradora da Votos, empresa de organização de casamentos que fundou com suas três melhores amigas de infância – Mac, Parker e Laurel. Ela passa os dias cercada de flores, imersa em seu aroma, criando e montando arranjos e buquês. 
Criada em uma família tradicional e muito unida, Emma cresceu ouvindo a história de amor dos pais. Não é de espantar que tenha se tornado uma romântica inveterada, cultivando um sonho desde menina: dançar no jardim, sob a luz do luar, com seu verdadeiro amor. 
Os pais de Jack se separaram quando ele era garoto, e isso lhe causou um trauma muito profundo. Ele se tornou um homem bonito e popular entre as mulheres, porém incapaz de assumir um compromisso. 
Quando Emma e suas três amigas fundaram a Votos, foi Jack, o melhor amigo do irmão de Parker, quem cuidou de toda a reforma para transformar a propriedade no melhor espaço para casamentos do estado.

Antes de falar sobre a história em si, quero chamar atenção para a capa do livro. Ela não é linda? Olhem esse buquê! Minha cor preferida é vermelho, e esse fundo feito pelo vestido branco deu um destaque tão lindo para a cor das rosas. A capa faz clara menção ao título, que tem tudo a ver com a história. A personagem principal, Emmaline, considera sua vida uma mar de rosas. Ela sempre está feliz, o que chega a irritar um pouco as pessoas a sua volta, e sabe que tem a vida e o trabalho dos sonhos - pelo menos para ela. Emma é a florista da Votos, a empresa que fundou com as três melhores amigas.

Emma cresceu tendo como base a linda história de amor de seus pais, o que a fez querer para ela nada menor do que aquilo que eles tinham. Ela quer encontrar o amor da vida dela, o homem com quem ela se casará, terá filhos e construirá uma família. Ela é uma pessoa maravilhosa, que sempre vê o lado bom, é feliz e grata pelo que tem, além de possuir uma incrível capacidade de perdoar. Emma sempre atraiu muitos homens, o que tornou grande seu histórico de relacionamentos, mas nunca encontrou aquele que estava procurando.

Mas em determinado dia, Jack, melhor amigo do irmão de uma de suas melhores amigas, depois de mais de dez anos de convivência, resolve beijá-la. Mas Jack não é um cara que pense no futuro, ao menos não quando o assunto é relacionamentos, então essa coisa toda entre os dois tem grande chance de dar errado, mesmo os dois se propondo a tentar "aproveitar o momento".

O que vemos no livro é o desenrolar dessa história entre os dois. Eu gostei muito da protagonista, e isso não acontecia há algum tempo. Gostei da maturidade dela, do jeito que ela leva a vida. Ela trabalha com aquilo que ama, cercada de flores, faz os próprios horários, tem uma empresa de sucesso com as melhores amigas e sabe que são poucos os que conseguem se realizar tão bem assim profissionalmente. Ela é grata pelo que tem e é feliz, lida com aquilo de que dispõe e faz o melhor a partir disso. Ela é bem sensata, característica que é difícil de encontrar em pessoas tão românticas. Claro que ela sonha e tem desejos que talvez possam ser difíceis de serem realizados, mas não são impossíveis. E, além disso, quem nunca sonhou? São os sonhos que nos movem!

Sei que estou me alongando nessa parte, mas realmente me identifiquei com Emma (apesar de não compartilhar com ela o sonho do casamento nem o longo histórico de relacionamentos). A achei muito parecida comigo, e o fato de a capa ser tão linda e dar destaque à minha cor preferida, com um buquê de rosas ainda por cima, está contribuindo fortemente para que esse livro se torne aquele que me identifica. Sempre acho difícil escolher os meus 'preferidos' - sei a cor, e tem um poema da Clarice que acho que me descreve bastante, mas não faço ideia de qual seja a música de que mais gosto, nem a comida, muito menos posso escolher um livro pelo qual me apaixonei que não esteja no mesmo patamar que vários outros. Então, estou numa experiência nova aqui.

Enfim, como deu pra ver, gostei bastante da personagem, então aprovei as atitudes dela durante a história. Houve apenas uma cena em que fiquei com vontade de puxar a orelha de Emma (mas mesmo nessa preciso admitir que provavelmente teria feito a mesma coisa). Quanto a Jack, não o achei maduro nem nada disso, mas penso que ele foi se entendendo ao decorrer da história e em seu próprio ritmo - e é sempre ótimo acompanhar o crescimento pessoal de uma personagem. Não que ele fosse uma criança, longe disso. Fundou a própria empresa de arquitetura e a fez crescer, é um bom amigo e se importa com o "quarteto".

Então, depois de tudo isso, só tenho a dizer que quero muito ter esse livro em minhas mãos para poder por na estante. E que recomendo muitíssimo sua leitura :)

Ah, e qualquer dia falo mais sobre o tal poema da Clarice. Beijos!

Comentários

  1. Hey!

    Mulher, ando tão desaparecida, né? Mas cá estou eu, haha! :)

    Esse livro é tão lindddooo! Tem toda aquela coisa romântica, quente e característica do Quarteto de Noivas...

    E essa capa? Diva! Quando achei o box em promoção, corri e comprei, haha!

    Beijos,

    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, moça!
      Também ando desaparecida, haha. To torcendo pra conseguir voltar a fazer mais posts logo!
      É lindo mesmo, né?
      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Comente! Vou amar saber o que você achou do post ou do blog, e sugestões para melhorias também são bem-vindas!

Postagens mais visitadas