Resenha #70 - A Rainha das Sombras, Sarah J. Maas


Oi, gente! Consegui ler os livros daquela listinha que fiz há uns posts atrás :) E por enquanto estou trazendo pra vocês a resenha de Rainha das Sombras, que é o quarto volume da (maravilhosa) série Trono de Vidro.

Todos que Celaena Sardothien amou lhe foram tirados. Mas finalmente chegou a hora da retribuição. A vingança promete ser tão dura quanto o aço da Espada de Orynth — a espada de seu pai. Finalmente Celaena retornou ao império; por justiça, para resgatar seu reino e confrontar as sombras do passado.
A assassina está morta. Ela abraçou a identidade de Aelin Galathynius, rainha de Terrasen. Mas antes de reclamar o trono, precisa lutar. E ela vai lutar. Por seu primo, a Puta de Adarlan, o general do Norte... um guerreiro preparado para morrer por sua soberana; por seu amigo Dorian, um príncipe preso em uma inimaginável prisão; por seu povo, escravizado por um rei cruel e à espera do retorno triunfante de sua líder; por seu carranam e a libertação da magia.
Ao avançar em seu plano, no entanto, Aelin precisa tomar cuidado com velhos inimigos. E abrir o coração para novos e improváveis aliados. Tudo isso enquanto os valg continuam trabalhando nas sombras. E Manon Bico Negro, a Líder Alada das Treze, treina suas bestas voadoras. Mas é de Morath, a fortaleza montanhosa do Duque de Perrington, que uma ameaça como nenhuma outra promete destroçar seu grupo de rebeldes e sua corte recém-formada.


Não canso de repetir que essa série me pegou totalmente desprevenida e conquistou meu coração. Nesse volume, Celaena finalmente fez as pazes com seus verdadeiro eu, Aelin Galathynus, e está pronta para conseguir de volta o que é seu por  direito, o reino de Terrassen. Mas é claro que isso não vai acontecer de uma hora para outra, é preciso fazer planos e ter paciência, além de formar uma corte. Aelin precisa antes de tudo resgatar seu primo, Aedion, que está sendo mantido prisioneiro pelo rei de Adarlan. 

Como uma força ascendente com um passado extremamente complicado e violento, Aelin precisa tomar cuidado com seus inimigos, principalmente em relação ao rei dos assassinos, Arobynn. Quando Rowan, o príncipe feérico que lhe jurou lealdade e que é muito mais que um amigo, chega à Adarlan Aelin finalmente pode se sentir menos sozinha e longe de tudo aquilo que ama e aprecia. A relação entre os dois é linda, apesar de todas as possibilidades de conflito. Já a relação entre ela e Chaol não está em seus melhores momentos, mas acho que sempre há esperança. O ex-capitão deixou a guarda real e agora se dedica e ajudar os rebeldes, e os dois são obrigados a trabalhar juntos em alguns momentos.

Também vemos o desenvolvimento de uma bonita e improvável amizade  entre Aelin e Lysandra. As duas se conhecem e se odeiam desde pequenas, mas as atuais circunstâncias pedem uma revisão de conceitos pré formados e de sentimentos. Aos poucos o grupo de amigos de Aelin vai se expandindo e sendo formado.

Quero comentar também sobre as bruxas, que desde o volume anterior nos são mostradas pela perspectiva de Manon Bico Negro, a herdeira Bico Negro e Líder Alada, pois elas também me conquistaram. A tensão entre Manon e sua avó, a impiedosa e cruel Matriarca das Bico Negro, é bem mais palpável nesse volume. A aliança da matriarca com o rei de Adarlan gera vários conflitos e revoltas (ao menos de pensamento) entre as bruxas. Aos poucos vemos que as treze têm coração sim, apesar de serem meio duros.

Um inimigo extremamente poderoso, tanto para as bruxas quanto para Terrassen, é o duque Perrington, sobre quem descobrimos algumas verdades mais para o fim do livro (assim como sobre o rei de Adarlan) que eu não tinha imaginado e que são bastante importantes. O próximo volume está sendo aguardado ansiosamente pela minha pessoa, para que todos nós possamos ficar sabendo o desenrolar dessa história.

Espero que quem ainda não tenha lido a série possa algum dia ler, tenho certeza que vocês vão se apaixonar! Indiquei para minha irmã e ela amou, mesmo geralmente não curtindo muito os livros que eu leio, haha.

Beijos, gente!

Comentários

  1. Oi Fê!
    Nossa, não acredito que você já leu Rainha das Sombras. A Sarah é louca, só pode, um livro é maior que o outro e muitos da série ainda não foram lançados por aqui XD
    Não sei porquê, mas gosto bastante da Manon, e fico feliz que ela esteja nesse volume também. E nem vamos comentar sobre Rowan né, sou mais apaixonada por ele do que pelo Chaol, haha.
    Nem me lembrava da Lysandra, quem é ela mesmo?
    Beijão, adorei a resenha,

    http://lucyintheskywithbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rê!
      Haha, consegui ler! Simmm, ainda não li nenhum dos que antecedem o primeiro volume, nem A Lâmina da Assassina, mas em algum momento vai dar tempo :)
      Também gosto bastante deles <3 A Lysandra não aparece nos livros anteriores, se não me engano, mas em A Rainha das Sombras ficamos sabendo que a história das duas é bem antiga.
      Beijos, que bom moça :)

      Excluir

Postar um comentário

Comente! Vou amar saber o que você achou do post ou do blog, e sugestões para melhorias também são bem-vindas!

Postagens mais visitadas