Resenha #74 - O Oráculo Oculto, Rick Riordan


Primeiro livro de uma nova série de Rick Riordan, O Oráculo Oculto já era sucesso antes mesmo de ser lançado e, felizmente, tio Rick não nos decepcionou! O humor continua presentíssimo, a abordagem da mitologia que tanto amamos continua a mesma e o novo enredo, devo dizer, é ótimo. Apolo sempre me chamou a atenção, então ter uma série inteira de certa forma dedicada à ele foi uma ideia que me agradou bastante.

Como você pune um deus imortal? Transformando-o em humano, claro! Depois de despertar a fúria de Zeus por causa da guerra com Gaia, Apolo é expulso do Olimpo e vai parar na Terra, mais precisamente em uma caçamba de lixo em um beco sujo de Nova York. Fraco e desorientado, ele agora é Lester Papadopoulos, um adolescente mortal com cabelo encaracolado, espinhas e sem abdome tanquinho. Sem seus poderes, a divindade de quatro mil anos terá que descobrir como sobreviver no mundo moderno e o que fazer para cair novamente nas graças de Zeus. 
O problema é que isso não vai ser tão fácil. Apolo tem inimigos para todos os gostos: deuses, monstros e até mortais. Com a ajuda de Meg McCaffrey, uma semideusa sem-teto e maltrapilha, e Percy Jackson, ele chega ao Acampamento Meio-Sangue em busca de ajuda, mas acaba se deparando com ainda mais problemas. Vários semideuses estão desaparecidos e o Oráculo de Delfos, a fonte de profecias, está na mais completa escuridão. 
Agora, o ex-deus terá que solucionar esses mistérios, recuperar o oráculo e, mais importante, voltar a ser o imortal belo e gracioso que todos amam.

Algo que me chamou bastante a atenção durante a leitura foi a forma que Riordan escolheu para nos mostrar como Apolo é autocentrado. Há várias passagens em que ele coloca suas vontades e necessidades acima das dos outros, ao menos em pensamento, mesmo quando claramente as dele são secundárias quando comparadas com as outras em questão. Ele não parece ter ideia de quão egocêntrico é. Acho que na visão de uma divindade de quatro mil anos todos têm que estar à seu dispor. Mas convenhamos que não é bem assim, não é mesmo? Apolo sempre me chamou atenção, mas ver esse outro lado da personagem faz a gente começar a pensar e questionar certas coisas.

Zeus ficou louco com o deus das profecias por conta do estrago que seu filho Octavian fez durante a guerra com Gaia (Heróis do Olimpo) e o transforma em humano. Essa não é a primeira vez que o rei dos deuses faz isso, mas parece que não será tão fácil voltar a ser o querido olimpiano nesse momento.

Apolo se descuidou dos oráculos ao longo dos milênios e agora todos estão pagando o preço por isso. Rachel Dare, a profetiza de Delfos que fica no Acampamento Meio-Sangue, não consegue mais fazer profecias e tudo parece estar uma bagunça. Quando Apolo, agora Lester Papadopoulos, chega ao acampamento tentando achar meios para voltar a cair nas graças de Zeus, não percebe que a sua situação humana temporária não é a mais importante ou imprescindível de ser resolvida.

Felizmente, nosso querido Quíron tem um pouco mais visão do que o deus autocentrado, e consegue enxergar que os problemas com os oráculos precisam ser resolvidos o mais rápido possível, para que a situação não piore ainda mais. O acampamento vem sofrendo ataques e a comunicação foi cortada - até mesmo as mensagens de Iris!

Assim, a mortalidade de Apolo é obrigada a ficar em segundo plano enquanto o deus tenta se virar com seu recém adquirido  corpo humano, é obrigado a conviver com seus filhos que estão no acampamento e que mais parecem seus irmãos mais velhos no momento e vai aos poucos se importando com outros problemas além dos seus.

Annabeth está longe e Percy está tentando se manter afastado de problemas, mas promete tentar ajudar no que for possível. Meg, a semideusa que ajudou Apolo a chegar ao acampamento, parece ser uma adição bastante poderosa para os gregos. E necessária, devo dizer, já que inimigos antigos, que deveriam estar mortos há muito tempo, saem das sombras e se mostram extremamente poderosos e articulados.

Eu ainda não sei se a narração da série ficará inteira por conta de Apolo, ao estilo Percy Jackson e os Olimpianos, ou se haverá cambiação entre as personagens, como ocorre em Heróis do Olimpo. Eu gostaria muito de ver os acontecimentos pela perspectiva de Percy novamente, assim como pela de Meg, mas estou achando que Apolo narrará toda a história mesmo.

Vocês já leram O Oráculo Oculto ou algum outro do autor? Me contem o que acharam! Beijos!

Comentários

  1. Fiquei apaixonada na resenha! A história desse livro é muito criativa e interessante! Espero poder ler um dia...

    Um beijo.
    www.anneabreu.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anne! A história é ótima mesmo :) Espero que você consiga ler!
      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Comente! Vou amar saber o que você achou do post ou do blog, e sugestões para melhorias também são bem-vindas!

Postagens mais visitadas